6 Pontos Importantes Para Refletir Com o Filme Felicidade Por Um Fio me fez refletir

Não sou de resenha, mas este filme merece.

Tudo começou assim…

Tinha acabado de postar um frase no meu Stories do Instagram {aproveita e segue lá @katygarcia.oficial}:

VOCÊ SABE O QUE É BOM PRA VOCÊ, CONFIE!

Em seguida recebi um direct de uma querida dizendo: “Katy, assista Felicidade Por Um Fio no Netflix, tem tudo a ver com você!”

Agradeci e imediatamente, coloquei na minha lista do que fazer no dia seguinte. Não só coloquei na lista do que fazer como fiz. Adiantei correndo meus trabalhos e fui pra sala me dar o luxo de ver o filme.

Não vi trailer nem nada. Liguei a tv, busquei no netflix e play!

O que é classificado como comédia e drama, vai muito além.
Tão além que eu assisti duas vezes. Isso mesmo! Duas! E seguidas.

Mas vamos ao filme. E a leitura de tudo que vi.

.

O filme retrata muito mais do que uma transição capilar, o drama da personagem Violet é extremamente real e nos envolve emocionalmente por serem dramas vividos por muitas mulheres.

Anotei algumas coisas que percebi na trama e quero compartilhar com vocês.

                                     Aqui, Violet no começo do filme confiante na sua imagem perfeita!

1. Busca pela perfeição

A busca da mãe pela perfeição da filha.
A mãe de Violet a impedia de ser criança simplesmente para que ela parecesse melhor que as demais.
Essa necessidade vinha da mãe, não de Violet, ela queria brincar, se sujar, nadar. Mas a mãe a impedia com todas as forças, por seu cabelo ser afro e por ela ser negra.

É muito triste de ver e imaginar que muitas de nós passamos por situações como essas por conta das expectativas das nossas mães, vestindo o que elas querem, fazendo o que elas consideram ideal, e não estou dizendo que elas fazem por mal (sou mãe), estou dizendo que precisamos estar atentas, pois toda e qualquer atitude que diz respeito as nossas escolhas, pode prejudicar o futuro dos nossos amores, nossos filhos. Criança tem que ser criança.

2. Machismo

Tem machismo, tanto do namorado da personagem, quanto da própria mãe e por assim ser, da filha também.

Tudo acontece de forma inconsciente, sem dúvida Violet não percebia o que fazia, ela estava  presa à educação que lhe foi dada e também seguia no modo automático, que é embutido em nós todos os dias através da mídia. Se não tomarmos cuidado, ficamos cegas! É assustador.

Quer um exemplo retratado no filme?

Que para sermos perfeitas para eles precisamos usar salto, mesmo machucando nossos pés. Estar sempre com o cabelo liso. Usar batom.

Praticamente PRISÃO.

Violet não conseguia se ver livre dos cabelos nem nos momentos na cama. Quando seu namorado tentava colocar a mão em seu cabelo, imediatamente ela retirava. Imagina?

O machismo vem desde estar ‘perfeita’ para seu namorado, até citar que a partir do momento que se casar sua carreira ficará em segundo plano, pois terá um marido para cuidar dela.

Não vejo problema nenhum se isso é o que realmente o que as pessoas buscam, mas com o desenrolar da história, é possível notar claramente que esse era o modelo que a mãe lhe apresentou como o mais importante. Um homem rico e bem sucedido.

3. Alienação Parental

Alienação parental, quando a mãe de Violet, separada de seu pai, insiste para que a filha não chame o pai para seu aniversário e fala mal por diversas vezes de suas escolhas. Ele largou o trabalho para ser modelo e por esse motivo se separaram. Para ela, a liberdade do marido lhe causava constrangimento.

4. Que o universo conspira para você se libertar, basta aceitar, deixar o medo pra trás!

Essa parte sem dúvida, se você não estiver atenta vai achar que é o acaso! Mas não é o acaso, são as leis universais agindo sobre o que a gente realmente quer, sobre o que está dentro de nós, desde sempre.

Violet sempre quis essa liberdade, mas foi privada pelo seu amor maior, sua mãe.

Filhos confiam em suas mães. Mães exercem o principal papel de influenciar e proteger. Desculpem papais, mas nós somos tudo para nossos filhos e eles são tudo para nós (HAHAHAAHA).

E nesse quesito o filme é maravilhoso, mostra claramente como uma mãe pode influenciar um filho de forma negativa, mesmo que sem intenção. Para a mãe tudo isso era mais importante. Inclusive, em uma parte do filme uma de suas familiares lhe insulta na mesa dizendo que quando a mãe de Violet era criança zombavam dela por ter o cabelo afro. Entende? A mãe deu seu melhor. Infelizmente não era o que a Violet precisava, e que bom que dentro de si sempre morou o desejo de liberdade. Que enfim, foi acontecendo…

5. Desapego (forçado)

No caso da personagem, o desapego teve que acontecer de forma forçada. Vou explicar.
Ela foi tomada por um tiro de mangueira que lhe ensopou. Era o dia do seu “noivado” e em desespero total ela recorreu à um salão. A vida toda seu cabelo havia sido cuidado por sua mãe.

No salão uma criança pega os produtos para a profissional que iria fazer a escova, mas sem perceber, a cabeleireira aplica um produto relaxante, o que destrói completamente a fibra capilar e faz com que ela perca muito cabelo. Muito mesmo.

Ela teve que recorrer a uma peruca.

Porém, mesmo com a peruca, ela e seu namorado se separam após sua festa de aniversário. Mas você precisa ver para entender! Já estou fazendo spoiller demais! hahaha

Depois da separação ela vê um casal se beijando, a mulher tinha o cabelo afro e era loira, extremamente linda, livresexy, segura e eles pareciam muito felizes!

Então ela se inspira e decide cortar o cabelo e ficar loira, porém ela continua alisando.

Ela sai com as amigas para se divertir e imediatamente encontra um crush. Eles vão pra casa dele e quase transam, quando acontece um acidente e ela se sente ridícula e vai embora!

No taxi ela decide encontrar o ex e quando chega ao hospital ele esta com outra mulher.
Ela se decepciona, volta pra casa aos prantos e bêbada com muita fúria, começa a separar o resto das coisas do ex.

Nesse momento ela encontra um barbeador e com muita raiva raspa seu cabelo. É emocionante demais ver ela raspando a cabeça e se desapegando… desapegando por não aceitar quem é, como é. Imagina a dor? Você com certeza já experimentou a dor de não se aceitar como você é em algum aspecto. Eu também.
Chorei muito. Chorei litros.

6. Preconceito

O filme mostra de forma clara o preconceito da personagem. Ela não se aceitava, nem aceitava os cabelos alheios. Tanto que durante o acidente no salão, causado pela criança que era negra e tinha o cabelo afro, ela aos gritos insulta o pai da menina (dono do salão) e a pequena. Você precisa ver para crer.

8. Insegurança

Ela tinha medo de se assumir careca. E começou a usar lenço.
O problema nisso era que essa insegurança gerava um comportamento negativo das pessoas com relação a ela.
Ela estava se escondendo e por se esconder ninguém mais a via.
As pessoas trombavam nela. Ela foi perdendo cada vez mais a confiança.
Até que o universo mais uma vez conspira e lhe aproxima de um grupo de mulheres, e indo ao grupo ela descobre que era um grupo de mulheres com câncer, e todas estavam com medo de perder seus cabelos.
Então pressionada a tirar o lenço, uma das mulheres lhe diz, ASSUMA! Enquanto não assumir você será invisível.
E então ela cria coragem e sai sem o lenço, e o surpreendente acontece. Ela se empodera da careca! Ela está radiante e começa a gostar de si. Quando se despiu, ela passou a se amar como é. De dentro pra fora.
E se despindo ela passa a se aceitar, se amar, e se abre para a vida.

O mais lindo de se ver, é que se abrindo para a vida tudo começa a fazer mais sentido e começa a se encaixar.


O trabalho, os relacionamentos, o relacionamento com a mãe, com o pai, enfim!

E aí a trama começa a mostrar que não adianta querer algo superficial, o superficial não leva a lugar nenhum.

O que a gente precisa é se amar em primeiro lugar e se amando o mundo conspira para que tudo se encaixe.

É preciso coragem, muitas vezes não é fácil e estou falando por mim. Eu estou passando por esse processo e sinto muito medo. É natural. Mas o medo não pode nos impedir de viver coisas grandiosas!

Se você viu o filme me diz o que achou? Comenta aí!
Se não viu, as melhores partes vêm depois do meu spoiller.
Se viu além do que eu vi, por favor, me fala? Vamos refletir!

Não dá para passar a vida não amando quem somos.
Precisamos ser verdadeiras conosco.
Se for pra fazermos algo que seja por nós, nunca pelo outro. NUNCA.

É doloroso demais.

Agora pega uma pipoca, liga o netflix e vai se emocionar. Inspire-se e liberte-se!

beijos,
da Katy

PS: que o filme te ajude a se libertar dos padrões.

.
Foto:  Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *